Breaking News
recent

Resenha || Casamento Acidental - HD


Casamento acidental


Irmãos Tremayne 1









Apaixonara-se no primeiro instante, encantada com o rosto sério e duro do jovem de olhos negros e misteriosos.


Penélope tinha os cabelos louros presos por uma fita de veludo que combinava com o tom dos olhos castanhos, mas levou a mão ao rosto para afastar uma mecha que o vento havia soltado. Não era bonita, mas possuía um certo encanto, apesar de achar-se rechonchuda demais. Os cabelos claros adquiriam um tom avermelhado quando banhados pelo sol, e as sardas sobre o nariz lhe davam um ar de menina travessa. Com um pouco de cuidado teria se transformado numa mulher charmosa, mas insistia em comportar-se como um moleque.






            Mais um livro perfeito da Tia Diana Palmer. O Primeiro livro da coleção Irmãos Tremayne é um sucesso.
            C.C ... É um homem maravilhoso, como todos os mocinhos rudes - com aquela cor - calor   latino - nosso haha - calor - ai haha voltando mocinhos rudes, que trazem junto com o amor, dor para suas parceiras.

O que você quer? — perguntou com tom rude.
— Salvar sua pele, se puder — ela disse, batendo a porta. Depois tirou a jaqueta e foi para a cozinha preparar um bule de café.
— Vai me salvar outra vez, Pepi? — riu, usando o apelido que todos conheciam. — Por quê?
— Porque morro de amor por você — respondeu com sarcasmo.
            Penelope, é uma menina de 22 anos, CC - 30 anos - que é nascida de uma fazenda, e desde -3 anos- que ele chegou na fazenda seu coração é dele. Com isso, indo atrás dele toda vez que ele se metia em confusão - era proibida bebida dentro da  fazenda- ele acaba - bêbado - fazer ela casar com ele.

Ele chegou aqui sem nenhuma referência, sem documentas e sem uma história. Eu o empreguei porque percebi sua habilidade com animais e números, mas sei que C.C. não é um vaqueiro. É elegante, e sabe muito sobre técnicas de negócios para ser um homem pobre. Escute bem o que estou dizendo, filha. Há muito sobre ele que ainda não sabemos.

Não quero ir para casa. Vamos aproveitar a noite.
— C.C., esta parte da cidade é perigosa...
— Meu nome é Connal.
Era estranho saber que ele tinha um nome de verdade. Sorrindo, Pepi comentou:
— É bonito. Gosto desse nome.
— E o seu é Penélope Marie Mathews.
— Isso mesmo — confirmou, feliz por descobrir que ele sabia seu nome completo.
— Você vive cuidando de mim, Penélope Marie Mathews. Por que não nos casamos de uma vez? — Olhando em volta,
apontou para uma pequena capela e disse: — Veja, está aberta! Venha comigo.

Só então, que a o verdadeiro C.C Connal começou a aparecer a descobrir tudo. O quão o misterioso C.C era... Bom, para saber mais só lendo!
Faça como quiser. Só espero que não esqueça o meu aniversário no sábado.
— Como se eu pudesse esquecer... Quantos anos, papai? Trinta e nove? — brincou.
— Cale a boca e me dê um pedaço de torta.
— Sim, senhor — ela riu.

Vejam só a pobre garota caipira e envergonhada... Que cara de pau!
— São as influências da companhia que arrumei recentemente — ela riu. — E acho que temos um problema.
— Você está grávida? — perguntou esperançoso.
— Isso não é problema, é alegria. E talvez esteja mesmo, mas ainda não posso saber. O problema é que estamos casados e
eu não tenho sequer uma aliança.
— Quem disse que não? — e retirou uma pequena caixa do bolso.
Penélope pegou a caixinha e abriu-a, deparando-se com uma aliança de ouro e um lindo anel de diamante.
— Meu Deus! Você é maluco! Mas... e a sua? Não pense que vai andar por aí sem uma aliança, Connal Cade Tremayne.
Não quero essas aventureiras do Texas invadindo meu território!
— Calma, Pepi! Podemos ir a cidade para comprar uma aliança para mim. O que acha?

Três semanas mais tarde, Pepi levou três tortas de maçã para o pai e aproveitou para dar a notícia maravilhosa de que seria
avô. Quando Connal perguntou sobre o sogro, Penélope respondeu que não fora capaz de descobrir qual dos presentes o
deixara mais feliz.

Bom, quem gosta de livro de banca é uma boa pedida!

Baci!
@ Moda e Eu.

@ Moda e Eu.

Prepare-se :) a contagem vai começar! "A arte de ignorar um desvio de comportamento, um costume, uma forma de sobrevivência, um mecanismo de defesa, de resistência, ou conseqüência do egoísmo e do medo. " Sthéfanie Paula Cachoeira rezena

23 comentários:

  1. Não sou muito fã de livro de banca, mas para quem gosta, é bem interessante!

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto mais de romances históricos, nunca li um livro da Diana Palmer mas sei que tem muitas pessoas que gostam . Quando eu tiver tempo vou ver se consigo ler algum.

    ResponderExcluir
  3. Ah, poxa... Quando li o título, eu pensei que fosse o mesmo que deu origem a um filme que passa na sessão da tarde.
    O título é parecido com esse e eu queria muito ler.
    A mulher sofre um acidente com um casal. E na hora do acidente ela tava experimentando um anel de casamento da mulher lá... Aí ela sobrevive e todos acham que ela é a mulher do cara morto...
    Tu já assistiu?
    Eu pensei que esse livro fosse assim.
    Ah, vi aqui "Amor por acidente"! =p

    ResponderExcluir
  4. Não sou muito fã de Diana Palmer, mas adoro romances de banca, os hitoricos e medievais são meus preferidos :)

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nada dela, mas até gosto desses livros. Pretendia ler alguma coisa só pra saber como ela escreve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu curto, porém eles cortam bastante na tradução.

      Excluir
  6. Nunca li livros da autora, mas esse até q chamou minha atenção.. gostei das fotos tbm :D

    ResponderExcluir
  7. Sthef!
    Sou super fã de livros de banca e fiquei encantada com a história.
    Romances são sempre uma delícia!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Banca...
    Como te deixa feliz?
    asdashdhua
    massa.

    ResponderExcluir
  9. Eu não curto muito romance de banca mas gostei da dica =)
    Ficarei de olho!

    Bjs
    @Tibiux

    ResponderExcluir
  10. Casamento acidental, é um romance de banca de auto estilo.
    Muito bem formulado.

    ResponderExcluir
  11. Pf, é Diana Palmer tão eu!

    Gente, como sou apaixonada por essa mulher (os livros)
    D:

    ResponderExcluir
  12. Não leio muito livros de banca , mais esse parece ser muito boom !
    Boa dica ;)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.